segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

ARGO - Ben Affleck.



Um tributo à imaginação! Creio que é assim que podemos definir a palavra Argo, tanto na antiga mitologia grega, quanto agora, no filme de Ben Affleck, em que ele simultaneamente atua e dirige.

A uma terra desconhecida chegaremos,
Por caminhos desconhecidos também.
Nossos destinos, só os deuses imortais conhecem,
Pois a nós só cabe ousar e confiar.
A chama do entusiasmo arde em nossos corações!
Alimentada por sonhos gloriosos.
Partimos para trazer o velo de ouro!
Para trazer para a Hélade novamente
a beleza e o esplendor.

Esse teria sido o canto de Orfeu na despedida do navio Argo, em busca do velo de ouro, um símbolo da felicidade. O que é a mitologia grega? Ou melhor, o que é a mitologia? A mitologia sempre será a superação e o transcender das forças e das possibilidades humanas. O seu encanto e poder estará sempre no narrador, um herói ou um semi deus. Na expedição dos argonautas temos muito mais do que uma história. O seu símbolo maior é a da busca da felicidade, ameaçada por ataques à soberania grega, por seus vizinhos, povos tiranos. A forma de serem gregos é que precisa ser preservada. Isso só será possível por atos heróicos, limítrofes da condição humana. A arethé grega (honra, virtude) só será conquistada com o seu exercício. Heroísmo só é possível através de atos heroicos. Essa é a ideia central de Jasão e Medeia e os seus argonautas, que navegam por mares desconhecidos, enfrentando todos os perigos, num verdadeiro culto ao progresso e ao heroísmo. Os argonautas de Jasão são todos personagens heróicos, conhecidos da mitologia. Para quem quiser uma rápida incursão nesta história e numa leitura de fácil compreensão segue aí uma dica preciosa: Jasão e os argonautas. Menelaos Stephanides. Editora Odisseus.

Em 1979 ocorre no Irã a chamada revolução islâmica. Em síntese, o governo pró americano do xá Reza Pahlevi é derrubado e o aiatolá Khomeini será trazido do exílio para o poder. No Irã haverá um grande clima de hostilidades contra os americanos por terem dado exílio e proteção ao xá. Vários diplomatas americanos permanecem presos por mais de um ano no Irã e seis deles conseguem se refugiar na embaixada canadense daquele país. O enredo do filme será o resgate desses diplomatas, da embaixada canadense. A operação resgate exigirá ousadia e heroísmo e até certo ponto a superação dos limites do humano.

Isso leva ao nome Argo. Algo terá que ser feito e absolutamente fora das situações do comum e do trivial. Os diplomatas serão envovlidos na imaginária produção de um filme e, com vistos canadenses tomam, junto com o agente da Cia. (o próprio Ben Affleck), as providências necessárias para a locação do filme. Depois dessa missão de dois dias ocorrerá a viagem de volta. O Argo, o novo barco dessa aventura heroica, será um avião da Swiss Air. A missão foi totalmente secreta e é óbvio, foi bem sucedida.

Ben Affleck já é homem premiado pelo cinema americano e o filme caiu bem no gosto dos americanos. É um sucesso de bilheteria. Creio não ser necessário dizer as razões pelas quais ele caiu no gosto popular americano. Possivelmente novas premiações virão para essa moderna expedição, do agente da Cia. Tony Mendez, o modeno Jasão em busca do velo de ouro da felicidade. Essa busca da felicidade, evidentemente, pode ser vista por muitas diferentes formas. Embora a história não tenha o mesmo fascínio do Jasão original, ela tem os seus méritos. Uma história americana, por excelência, e atos de coragem e heroísmo não lhe faltam. A virtude continua sendo exercitada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Depois de moderado ele será liberado.