segunda-feira, 16 de setembro de 2013

23 comparações entre 2002 e 2012. Dados do Ministério da fazenda.

Uma vez, já no final da década de 80, numa assembléia do sindicato dos professores (APP-Sindicato), após apresentação de dados numéricos sobre a realidade apresentada, alguém cobrou que os números deveriam ser mais politizados. Lembrei que neste dia eu dei uma risada meio amarela. Não existe nenhuma necessidade de politizar números. Não existe maior eloquência do que a fala dos números. Eles falam por si. Não necessitam de nenhuma interpretação.

No livro O Príncipe da privataria, de Palmério Dória existem 23 indicadores numéricos, comparando o Brasil de 2002, portanto, o Brasil que foi deixado por Fernando Henrique Cardoso para Lula e 2012. Este de 2012 é o Brasil de hoje, após dez anos de governos pós-neoliberais, ou seja, os governos Lula e Dilma. Depois da apresentação de desastrosos dados sociais do governo FHC, Palmério Dória recorre a números para estabelecer comparações. Os dados são retirados do Ministério da Fazenda. Assim os apresenta:

"Quanto a questão 'econômica' contida no libelo contra outro ex-presidente, a matemática será mais útil para nos trazer a verdade do que a retórica. É ela que vai nos esclarecer sobre quem leva a melhor nesse cabo de guerra entre o príncipe e o metalúrgico. Recorremos aos dados da 14ª edição de Economia Brasileira em Perspectiva, informe de fevereiro de 2012, do Ministério da Fazenda. Que flagra que alguma coisa mudou no Brasil entre 2002 e 2012. Números também falam:


1) Produto Interno Bruto:                          2002: U$ 500 bilhões
2012: U$ 2,6 trilhões
2) PIB Per Capita:                                     2002: U$ 2,8 mil
2012: U$ 13,3 mil
3) Produção de Automóveis:2002: 1,8 milhões - unidades
2011: 3,4 milhões - unidades
4) Safra de Grãos:                                      2002: 96,8 m -toneladas
2011: 163 m. toneladas
5) Taxa de investimento sobre o PIB:2002: 16,4.                            
2011: 20,8.
6) Investimento estrangeiro direto:2002: U$ 16,5 milhões            
2011: U$ 66,6 bilhões
7) Inflação - IPCA:                                        2002: 12,5                              
2012: 4,7.
8) Desemprego:  2002: 12,9
2011: 4,7.
9) Formalização do Trabalho:                          2002: 45,5%                          
2011: 53,2%
10) Salário Mínimo Nominal:   2002: R$ 200
2012: R$ 622
11)  Coeficiente de GINI: (ref neg.1)2002: 0,589                       
2012: 0,541                       
12) Taxa de Pobreza:                                       2002: 26,7%                         
2012: 12,8%                         
13) Classe C sobre o total da População:2002: 37%
2012: 50%
14) Nº de matrículas no ensino profissional:2002: 565 mil
2012: 924 mil
15)  % força de trabalho c. 11 anos de estudo:2002: 44,7%
2012: 60,5%
16) Bolsas de mestrado e doutorado:2002: 35 mil
2012: 105 mil
17) Títulos em Doutorado:2002: 6.894
2012: 13.304
18) Dívida externa:2002: U$ 165 bilhões
2012: U$ 79,1 bilhões
19) Reservas Internacionais:2002: U$ 36 bilhões
2012: U$ 353  bilhões
20) Exportações: 2002: U$ 60 bilhões
2012: U$  256 bilhões
21) Juros - Taxa SELIC:2002: 25% aa.
2012: 10,5aa.
22) Dívida do Setor Público sobre o PIB:2002: 60,4% 
2012: 36,9%
23)Despesas de pessoal:2002: 4,8 do PIB
2012: 4,4% do PIB.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Obrigado pelo comentário. Depois de moderado ele será liberado.