segunda-feira, 2 de julho de 2018

A Rota das Emoções. 6. Jericoacara.

A continuidade da "Rota das Emoções", seguiria agora com as aventuras que me levariam de Parnaíba até Jericoacara. Mais uma vez um carro traçado 4X4 e, mais uma vez, um passageiro solitário, indicando que a rota ainda é pouco conhecida. A distância que separa as cidades é de duzentos quilômetros, que seriam percorridos em quatro horas. Luís Correia, Camocim, Tatajuba, Mangue Seco e Guriú estavam no nosso caminho. Duas travessias de balsa e inúmeros trechos pela praia. A rota passa pelas BR 402 e CE 085.
Em Camocim, a primeira travessia de balsa.

O passeio foi maravilhoso e de muita conversa com o guia/motorista. Ele me falava de Luís Correia, a praia do Ceará, frequentada pelo povo de Teresina, apenas na temporada de férias. A paisagem continuava a mesma, entre as palmeiras de babaçu e de carnaúba. Fizemos uma parada para ver e fotografar a árvore penteada, uma obra do vento. Vi a placa que indicava o caminho para Barra Grande, o novo charme do turismo, mas o roteiro estava pré traçado.
As boas vindas do estado do Ceará.

Entramos no Ceará por Chaval (13.000 h.), Barroquinha (15.000 h.) e Camocim (65.000 h.). A paisagem modificou bastante, aparecendo muitas pedras. Os coqueiros também começara a aparecer na paisagem. Lembro que há anos se falava muito de indústrias do sul e do sudeste que estavam se transferindo para o Ceará. Pois é, em Camocim você encontra a fábrica de calçados da Democrata, que emprega em torno de três mil funcionários. Estas empresas foram para o Ceará, em busca de mão de obra barata. Isso hoje não seria mais necessário com a reforma trabalhista feita pelo governo golpista do Temer. Em Camocim fizemos a primeira travessia de Balsa. Isso é opcional, para conferir aventura ao roteiro.
A bela paisagem ao longo do roteiro
A passagem por Barroquinha.

O guia/motorista me falava da rota. Tem gente que a faz com carro próprio, com carros de locadora. Só que o motorista tem que ser um guia com as habilidades específicas exigidas pela estrada. Os pneus devem estar o mais murcho possíveis. O caminho pode ser feito todo por estrada asfaltada. Faríamos uma parada em Tatajuba, um dos passeios da rota oeste de Jericoacara. A paisagem é a das dunas e lagoas. Peixes, camarões e lagostas são oferecidas para o teu almoço. Você escolhe os de sua preferência. A viagem continuaria com direito a nova travessia de balsa, pelo mangue seco, nome em alusão às raízes expostas por causa das marés e, finalmente Jericoacara.
A Lagoa de Tatajuba, um dos passeios da rota oeste de Jericoacara.
Em Tatajuba você escolhe o seu almoço.


Jericoacara é uma praia/aldeia pertencente ao município de Jijoca de Jericoacara (17.000 h.). Ela tem apenas cinco ruas, interligadas por becos. Nenhuma é asfaltada ou iluminada, mantendo o seu caráter primitivo. Existe uma taxa de turismo, paga diariamente, com exceção dos velhinhos, privilégios conferidos pela idade. Os carros ficam no estacionamento. Podem circular apenas os carros que buscam ou levam os turistas em suas chegadas ou saídas ou para os passeios. Existem duas grandes atrações locais, que são a visita à pedra furada e a contemplação do por do sol, a partir das 17h00. A gota me impediu de ir à pedra furada, distante em torno de um quilômetro. Este trajeto também pode ser feito em charretes. Me falaram que o que vale é apenas a fotografia. Mas ver o por do sol, do alto de uma duna, eu fui.
Jericoacara à noite. Ruas sem calçamento e sem iluminação.
O último raio de sol de um belo por do sol do alto de uma duna.

Para fora, são os passeios da rota oeste e leste. São passeios que praticamente ocupam o dia inteiro, pois eles tem longas paradas nas atrações dos locais. Tatajuba no oeste e a Lagoa Paraíso ou Azul no roteiro Leste. Neste roteiro Leste, você, na volta, ainda passa pela praia do Preá e pela árvore da Preguiça. Os lugares são tão encantadores que até as árvores ficam com preguiça. O inconveniente destes passeios são as longas paradas e os preços absurdos que são praticados e a ausência de alternativas. Se quiser comer ou beber, tem que pagar o preço.
A beleza da Lagoa do Paraíso.
O cenário é um convite à preguiça. Até a árvore se deitou.

Os preços em Jericoacara atendem a todos os bolsos. Os restaurantes praticam preços condizentes. Os artesanatos e souvenirs são caros. Ainda uma palavra sobre a pousada. Esta eu recomendo por n razões, mas especialmente por ser nova e pelo atendimento com que você é tratado. Trata-se da Pousada Jeri Dunas. Roberto, seu proprietário ou administrador, se esmera no atendimento com a sua equipe de funcionários. Também deixo uma palavra com relação ao Carlinhos, o nosso condutor/guia, que é também instrutor de kitesurf. Em Jericoacara fiquei por duas noites.
A excelente Pousada Jeri Dunas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Depois de moderado ele será liberado.