quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Os 25 melhores romances do século XXI. Bula Revista.

Apesar de seus limites, eu gosto de rankings. Seus limites são as classificações e os ordenamentos, mas eles nunca deixam de ter os seus fundamentos. O seu grande valor está em nos situar, em nos mostrar evidências, que poderiam nos passar despercebidas. O ranking da vez nos é apresentado pela revista Bula e a sua pesquisa ou levantamento é bem limitado. Apenas seus colaboradores e leitores foram consultados. A consulta envolve livros. Os livros preferidos. Como critério, apenas os escritos a partir de 2001. Apenas novos escritores, portanto.

Considero este o aspecto mais importante. Ao menos para mim, que tenho dificuldades em conhecer até os clássicos, foi uma oportunidade de conhecer novos escritores e escritoras. Alguns me eram ou são totalmente desconhecidos. Os livros que receberam mais de 20 indicações estão relacionados. Os escritores comparecem na lista, também uma única vez. Também há a classificação pelo número de indicações. O ano da publicação do livro também pode produzir viés, tanto positivo como negativo pelo distanciamento ou proximidade com o tempo. Mas vamos a lista. Ao final eu passo o link da revista, para verem a capa dos livros e as pequenas resenhas feitas pelas editoras.
Pornopopeia. Um honroso primeiro lugar.



Livros com mais de 100 indicações:

1. Pornopopeia  (2009). Reinaldo Moraes.
2. O filho eterno (2007). Cristóvão Tezza.

Com mais de 80 indicações:

3. Cinzas do Norte (2005). Milton Hatoum.
4. Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios (2005). Marçal Aquino.

Com mais de 60 indicações:

5. Barba ensopada de sangue (2013). Daniel Galera.
6. O drible (2013). Sérgio Rodrigues.
7. Sinfonia em branco (2001). Adriana Lisboa.

Com mais de 40 indicações:

8. Nove noites (2002). Bernardo Carvalho.
9. O amor dos homens avulsos (2016). Victor Heringer.
10. Como se estivéssemos em Palimpsesto de Putas (2016). Elvira Vigna.
11. Eles eram muito cavalos (2001). Luiz Rufatto.
12. Budapeste (2003). Chico Buarque.

Com mais de 30 indicações:

13. O azul do filho morto (2002). Marcelo Minisola.
14. O cheiro do ralo (2002). Lourenço Mutarelli.
15. O albatroz azul ( 2009). João Ubaldo Ribeiro.

Com mais de 20 indicações:

16. Vermelho amargo (2011). Bartolomeu Campos de Queirós.
17. Noite dentro da noite (2017). Joca Reiner Terron.
18. Naqueles morros depois da chuva (2011). Edival Lourenço.
19. A máquina de madeira (2012). Miguel Sanches Neto.
20. K: Relato de uma busca (2014). Bernardo Kucinski.
21. Fé na estrada (2012). Dodô Azevedo.
22. Antiterapias (2012). Jacques Fux. 
23. Presos no Paraíso (2017). Carlos Marcela.
24. Minúsculos assassinatos e alguns copos de leite (2008). Fal Azevedo.
25. Pelo fundo da agulha (2006). Antonio Torres.

Na certeza de que a divulgação ajuda na busca de leitores, deixo o link da matéria. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Depois de moderado ele será liberado.